quinta-feira, janeiro 24, 2008

Intuição


Cada vez mais dou valor e crédito à intuição, ao instinto, aos feelings, àquela voz interior que te guia e te diz que algo está bem ou mal mesmo sem nenhuma pista ou indicação concreta. É algo eminentemente irracional e animal, algo apurado por milhares de anos de evolução que, infelizmente, a civilização e a racionalização a que assistimos nos últimos anos abafaram sem contemplações, tomando-os por assomos de imaginação desenfreada ou, com a conotação negativa que a palavra muitas vezes toma, misticismo. O método científico, tendo realmente os seus méritos na análise e resolução de problemas, arroga-se por vezes em excluir tudo aquilo que não consegue explicar como fantasioso ou impossível. Um paralelismo fácil de fazer prova pelo absurdo que tal não deve ser tomado por certo, bastando ver o efeito que teria um computador portátil com internet wireless no espírito de um qualquer personagem do século XV. Para ele, a ciência dos nossos dias pareceria magia, para não dizer algo de divino, tal a disparidade entre níveis de conhecimento e tecnologia. Isto para dizer que há limites para o actual conhecimento humano (ainda que se alarguem de dia para dia) e nada nos prova que, só porque não o conseguimos explicar, algo não possa existir. Mais do que uma vez assisti e experimentei tais sensações inexplicáveis mas inequivocamente credíveis sobre os mais variados temas, sendo que aprendi a dar-lhes a devida atenção sem cair na crendice total de me desligar da racionalidade dos factos.
A imagem acima foi retirada de um artigo num blog que leva esta discussão para o plano da neurofisiologia, o que acaba por acrescentar uma importante valência a este assunto.

4 comentários:

Arroz de Casca disse...

Fico contente que os "homens de ciência" consigam ter e até estudar noções tão importantes quanto a da intuição.

Se bem que não nos podemos esquecer que a intuição que não falha é mesmo a feminina - the special one!!!!! AHAHAHAAHAHAHAH! :)

Catarse disse...

Uiiii... essa então é mesmo assustadora!! :)

Arroz de Casca disse...

Eu, às vezes, apanho uns valentes sustos com a minha (até pq já comprovei mil vezes que se torna real)...Mas outras vezes - com grande pena minha - ela funciona na perfeição para os outros e é fraca em causa própria...Evitava tanta chatice...

IM disse...

Hummmm...concordo...e até acho que a intuição tem algo de místico, sim...penso que se trata de uma espécie de compreensão holística, uma visão de conjunto para lá das partes em que a conseguimos decompôr...como se captássemos uma essência invisível, ou impossível de diagnosticar racionalmente. Sim, também pode ser uma réstia de instinto básico, orientado para a sobrevivência que, apesar de tudo, a civilização actual ainda não consegui banir. Eu cá tendo mais para a 1ª...há qualquer coisa que escapa à razão, sim, e que é tão (mais?) certeira do que ela e bem mais abrangente!

Arrozinho, tou contigo! A intuição feminina é apanágio de seres fantásticos, como as mulheres,que usam indistintamente os dois hemisférios cerebrais e, que por isso, podem ter essa "captação de conjunto" que é a intuição...

;-)