terça-feira, janeiro 15, 2008

The Assassination of Jesse James by the coward Robert Ford

Três gajos vão ao cinema ver um filme sobre um pistoleiro famoso. Ambos os três tinham lido críticas sobre o filme que os prevenia para a possibilidade de aquilo ser um pouco mais parado do que o que tinham em mente. Ainda assim foram. Viram. E gostaram médio pouco. Nem a fotografia (dois ou três bons planos) nem o argumento (médio médio) compensaram o facto do filme ser demasiado longo para o que tinha para contar. Apenas a construção das duas personagens principais valeu a pena. O suposto herói Jesse James começa em grande mas revela-se no final egocêntrico, paranóico e isolado e são esses pés de barro que acabam por quase lhe fazer merecer o tiro na nuca (mataste a cacilda, com um tiro na nuca, mataste a cacilda, meu fxxxx dx pxxx - a expressão "tiro na nuca" desencadeia sempre esta musiqueta em mim e nem sei bem porquê) do supramencionado cobarde Robert Ford que de facto o é (ainda para mais tem uma maneira irritante de falar) durante todo o filme, sem conseguir sequer a remissão pelo medo no final.
Fiquei com vontade de malhar um belo western spaghetti, pelo mestre Sérgio Leone! O bom, o mau e o vilão! Já estou a assobiar a theme song do Ennio Morricone...

2 comentários:

d disse...

Eu também fui ao engano e digo-te que ainda dormi um bocado. Boa fotografia, só. Nem o Brad safou o filme ;)

Catarse disse...

E tanto bom filme para ir ver ao cinema...