quarta-feira, janeiro 23, 2008

Auto-estima


Há pessoas naturalmente confiantes nas suas próprias capacidades e cujo amor próprio se mantém em bom nível (quase) independentemente das circunstâncias. Como diz o anúncio: "Se eu não gostar de mim, quem gostará?" e como alguém me disse já por mais que uma vez "Começa por gostar e tratar de ti". E é bem verdade. Claro que o feedback de outros é importante até para aferir das reais capacidades e não entrar em excessos de confiança ou bazófia, mas a verdade é que ter uma boa dose de auto-confiança e moral só pode fazer bem. Advogar em causa própria é difícil e leva a comentários pouco abonatórios mas acho que, em média e como povo, sofremos do mal da auto-crítica e auto-destruição (algum resquício da antiga Grécia que nos ficou indelevelmente preso à alma). Deitamo-nos abaixo e não podemos ouvir ninguém dizer bem de si próprio ou assumir uma qualidade sem sentir uma estranha vergonha ou acusá-lo prontamente de gabarolice. Nada mais errado, mantidas proporções razoáveis, claro. No ramo da psicologia existe, ao que parece, um teste e uma escala (Rosenberg Self Esteem Questionnaire) para aferir tal característica mas nem é isso que importa. De origem intrínseca ou necessitando de reconhecimento alheio (mais instável e ao mesmo tempo possibilitando uma perspectiva externa sempre útil), é bom ter uma quantidade saudável de confiança. Os outros sentem-no e respeitam quem enana (justificadamente) tal sensação, estando ainda fortemente associada ao sucesso de tudo aquilo que tentamos fazer.

Há, claro, alturas melhores e piores para tudo, mas, com optimismo e confiança chegamos sempre mais longe do que pessimistas e inseguros. E se tens alguém que te faz sentir bem, feliz e com vontade de ser tudo aquilo que podes ser, melhor ainda!

3 comentários:

IM disse...

Concordo, concordo e concordo!!! Não há nada mais deprimente do que estar rodeado de pessoas que não gostam de si mesmas, com uma péssima auto-estima e com falta de confiança...é que quando estamos rodeados de pessoas assim é como se vivessemos assombrados pelas Leis de Murphy!!!! Como bem dizes, lidamos muito mal com os elogios e quando nos são feitos temos sempre reacções que vão desde o corar e ficar embaraçado ao pronto a negar que não é nada , "ora essa, de modo algum...quem sou eu...blá,blá,blá". Tipicamente português, penso...
Também lidamos mal com o que assume, por direito próprio e de cara alegre, os elogios e todos os louros...enfim, somos uns complicados!!! E para descomplicar não há nada como o sentido de humor numa pessoa auto-confiante! São as pessoas que até nos fazem acreditar que conseguimos impossíveis! Um sorriso fácil, inteligência, muita perspicácia e auto-confiança, são as características que eu por demais aprecio nos que me rodeiam apesar de, infelizmente, serem muito raras as pessoas que reúnem estas fantásticas características!!!

Arroz de Casca disse...

A auto-confiança pode ser cultivada, é verdade. Mas quando não é "metida" na infância, dificilmente se chegará aos valores "recomendáveis". Há sempre uma personalidade de base claro...mas é a velha equação de personalidade + meio ambiente. Uma coisa é certa: auto-estima é necessária para t-u-d-o na vida. Um bem precioso que é poucas vezes valorizado como merece.

Catarse disse...

É uma cruz pesada para carregar, essa da falta de confiança. E é verdade que muitas vezes as suas causas estão profundamente enterradas na infância e adolescência (e pontualmente já na vida adulta). Umas vezes por más experiências, outras por progenitores super-protectores que tentam futilmente filtrar todo o mal das vidas dos filhos, desconhecendo que isso os irá deixar mal preparados para enfrentar as adversidades da vida real quando eles não puderem, como não vão poder estar sempre, estar lá.

Também concordo que é possível cultivá-la mais tarde com a ajuda de amigos e pessoas chave e influentes... e ajuda taaaaaaanto!!

Concordo: Sentido de humor e riso/sorriso fácil, alegria de viver, energia, inteligência, perspicácia, força de vontade e... auto-confiança!Encontrando tudo isso numa pessoa carinhosa e meiga (e linda & maravihosa) está tudo dito! :)))))
LA RIPA strikes again (não resisti)! ;)))