quinta-feira, junho 28, 2007

João Gomes na NBA: pode ser hoje!

Há um mês, um site especializado em NBA dizia que João Gomes podia ser escolhido pelos Utah Jazz no Draft de hoje à noite. A menos de 12 horas do Draft os sites que acompanham a escolha da classe de 2007 são unânimes em incluir jovem de Cabo Verde entre os escolhidos.
Uma curiosidade: entre grandes elogios, há quem diga que um dos seus defeitos é ser... demasiado bom rapaz.

Canta como um possesso

O meu tenor preferido e cantor oficial da Gabardina tem um blog onde, a partir de agora, podemos saber onde serão os seus próximos espectáculos, ver fotografias, e tudo e tudo e tudo.
Em breve na coluna dos links.

quarta-feira, junho 27, 2007

London calling

London calling to the faraway towns
Now that war is declared-and battle come down
London calling to the underworld
Come out of the cupboard, all you boys and girls
London calling, now don't look at us
All that phoney Beatlemania has bitten the dust
London calling, see we ain't got no swing'
Cept for the ring of that truncheon thing
CHORUS
The ice age is coming, the sun is zooming in
Engines stop running and the wheat is growing thin
A nuclear error, but I have no fear
London is drowning-and I live by the river
London calling to the imitation zone
Forget it, brother, an' go it alone
London calling upon the zombies of death
Quit holding out-and draw another breath
London calling-and I don't wanna shout
But when we were talking-I saw you nodding out
London calling, see we ain't got no highs
Except for that one with the yellowy eyes
CHORUS
Now get this
London calling, yeah, I was there, too
An' you know what they said?
Well, some of it was true!
London calling at the top of the dial
After all this, won't you give me a smile?
I never felt so much a' like
--------------------------------------------------------------------------------

And off I go to the land of the Beatles, where football's coming home, where it's happy hour again at the pubs, where bobbys and double deckers roam the streets and Big Ben sets the time so do behave while I'm gone, god shave the queen and all that. Will try not to get lost in the smog or on the Tube. I'll tell Liz II you said hi! Be back by Sunday!
Ta-ta!

terça-feira, junho 26, 2007

segunda-feira, junho 25, 2007

Preparação para o SBSR 2007 - Arcade Fire


Sleeping is giving in, no matter what the time is. sleeping is giving
in, so lift those heavy eyelids.
people say that you'll die faster than without water. but we know it's
just a lie, scare your son and scare your daughter.
people say that your dreams are the only things that save ya.
come on baby in our dreams, we can live our misbehaviour.
everytime you close your eyes lies, lies!
people try and hide the night underneath the covers.
people try and hide the light underneath the covers.
come on hide your lovers underneath the covers.
come on hide your lovers underneath the covers.
hidin' from your brothers underneath the covers, come on hide your
lovers underneath the covers.
people say that you'll die faster than without water, but we know it's
just a lie, scare your son, scare your daughter
now here's the sun, it's alright! now here's the moon, it's alright!
now here's the sun, it's alright! now here's the moon, it's alright!
but everytime you close your eyes, lies!

desejos escondidos de auto punição?

Futebol, volleyball, IC19 a 160Kms/h, andar em cima de telhados, paintball... tudo actividades de risco com direito a lesões de vários níveis de gravidade e que faço com uma razoável noção dos riscos que corro... agora não estava nada à espera de esborrachar o meu próprio dedo ontem à noite na porta de um carro e logo tendo sido eu mesmo a fechar a dita porta... onde é que estava a minha noção de auto-preservação? A pensar sei lá bem em quê e esqueço-me logo de onde tenho a mão... Foi o chamado pensamento doloroso... Qu'é burro e qu'é estúpido... Agora tenho de ir tirar R-X, ainda vou descobrir que parti isto, lá se foi o volley durante umas semanas... caca! Bom, do mal o menos foi na canhota... mas porra, dói que se farta... nem sabia se gritava de dor, se me ria da parvoíce da coisa enquanto saltitava (ainda me vão explicar o motivo fisiológico associado ao saltitar para aliviar a dor...) agarrado ao dedo que sangrava... ao menos a porta ficou bem fechada e não sofreu danos de maior.

News update: Fractura da falange distal do anelar da mão esquerda. Tala durante 2 semanas.

au revoir simone

domingo, junho 24, 2007

The Gossip - Standing in the way of control!



Your back's against the wall
There's no one home to call
You're forgetting who you are
You can't stop crying
It's part not giving in
Part trusting your friends
You do it all again and I'm not lying

Oh oh oh
Standing in the way of control
Standing in the way of control
Standing in the way of control
Standing in the way of control

I'm doing this for you
Because it's easier to lose
And it's hard to face the truth
When you think you're dying
It's part not giving in
Part trusting your friends
You do it all again but you don't stop trying

Oh oh oh
Standing in the way of control
Standing in the way of control
Standing in the way of control
Standing in the way of control

Standing in the way of control
We live our lives
Because of standing in the way of control
We will live our lives
Because of standing in the way of control
We live our lives
Because of standing in the way of control
We will live our lives, lives, lives, lives on

Your back's against the wall
There's no one home to call
You're forgetting who you are
You can't stop crying
It's part not giving in
Part trusting your friends
You do it all again, you don't stop trying

Standing in the way of control
Standing in the way of control
Standing in the way of control
Standing in the way of control
Standing in the way of control
Standing in the way of control
Standing in the way of control
Standing in the way of control

Because of standing in the way of control
Because of standing in the way of control
We will live our lives, lives, lives, lives on

Chk Chk Chk !!! Heart of Hearts



her face, her face didnt change the whole damn time
when suddenly suddenly she left the room crying
turned her cards, turned her cards over they were shocked 2 find
one card, none of them had ever seen dealt
was a heart of hearts

staring, staring out the window like somethings missing
talking, talking 2 himself but not even he is listening
read the letter, read the letter over he was shocked to find
dear u, the heart is nothing but, nothing but a shell
4 your heart of hearts

talking bout real love baby
it's such a precious thing
it's got 2 be true love baby
it's such a precious thing
it's got 2 be true love baby
it's such a precious things
cuz we're all just fumbling baby
fumbling in the dark
4 a heart of hearts

sexta-feira, junho 22, 2007

Não há duas sem três, versão FC Pinto da Costa

Por muito menos que isto, na época passada, em Itália, a Juventus foi despromovida à segunda divisão.

Professô Catarsinga - Os signos (versão 1.0): São todos os maiores!

VIRGO - The One that Waits
Dominant in relationships. Someone loves them right now. Always wants the last word. Caring. Smart. Loud. Loyal. Easy to talk to. Everything you ever wanted. Easy to please. The one and only. 7 years of bad luck if you do not forward.
SCORPIO - The Addict
EXTREMELY adorable. Intelligent. Loves to joke. Very Good sense of humor. Energetic. Predict future. GREAT kisser. Always get what they want. Attractive. Easy going. Loves being in long relationships. Talkative. Romantic. Caring. 4 years of bad luck if you do not forward.
LIBRA - The Lame
One Nice to everyone they meet. Their Love is one of a kind. Silly, fun and sweet. Have own unique appeal. Most caring person you will ever meet! However not the kind of person you wanna mess with... u might end up crying... 9 years of bad luck if you do not forward.
ARIES - The Liar
Outgoing. Lovable. Spontaneous. Not one to mess with. Funny. Excellent kisser EXTREMELY adorable. Loves relationships, Addictive. Loud. 16 years of bad luck if you do not forward.
AQUARIUS - Does It In The Water
Trustworthy. Attractive. Great kisser. One of a kind. Loves being in long-term relationships. Extremely energetic. Unpredictable. Will exceed your expectations. Not a Fighter, But will Knock your lights out. 2 years of bad luck if you do not forward
GEMINI - Irresistible
Nice. Love is one of a kind. Great listeners Very Good in the you know where... Lover not a fighter, but will still knock you out. Trustworthy. Always happy. Loud. Talkative. Outgoing VERY FORGIVING. Loves to make out. Has a beautiful smile. Generous. Strong. THE MOST IRRESISTIBLE. 9 years of bad luck if you do not forward
LEO - The Lion
Great talker. Attractive and passionate. Laid back. Knows how to have fun. Is really good at almost anything. Great kisser. Unpredictable. Outgoing. Down to earth. Addictive. Attractive. Loud. Loves being in long relationships. Talkative. Not one to mess with. Rare to find. Good when found. 7 years of bad luck if you do not forward.
CANCER - The Cutie
MOST AMAZING KISSER. Very high appeal. Love is one of a kind. Very romantic. Most caring person you will ever meet! Entirely creative. Extremely random and proud of it. Freak. Spontaneous. Great telling stories. Not a Fighter, but will knock your lights out if it comes down to it. Someone you should hold on to. 12 years of bad luck if you do not forward.
PISCES - The Partner for Life
Caring and kind. Smart. Center of attention. High appeal. Has the last word. Good to find, hard to keep. Fun to be around. Extremely weird but in a good way. Good Sense of Humor!!! Thoughtful. Always gets what he or she wants. Loves to joke. Very popular. Silly, fun and sweet. 5 years of bad luck if you do not forward.
CAPRICORN - The Passionate Lover
Love to bust. Nice. Sassy. Intelligent. Sexy. Predict future. Irresistible. Loves being in long relationships. Great talker. Always gets what he or she wants. Cool. Loves to own Gemini's in sports. Extremely fun. Loves to joke. Smart. 24 years of bad luck if you do not forward.
TAURUS - The Tramp
Aggressive. Loves being in long relationships. Likes to give a good fight for what they want. Extremely outgoing. Loves to help people in times of need. Good kisser. Good personality. Stubborn. A caring person. One of a kind. Not one to mess with. Are the most attractive people on earth! 15 years of bad luck if you do not forward.
SAGITTARIUS - The Promiscuous One
Spontaneous. High appeal. Rare to find. Great when found. Loves being in long relationships. So much love to give. Not one to mess with. Very pretty. Very romantic. Nice to everyone they meet. Their Love is one of a kind. Silly, fun and sweet. Have own unique appeal. Most caring person you will ever meet! Amazing in the you know where..!!! Not the kind of person you wanna mess with- you might end up crying. 4 years of bad luck if you do not forward.

quinta-feira, junho 21, 2007

Aparências...


As pessoas (interessantes) raramente são o que parecem... Gosto bastante de quem consegue surpreender, fascinar e desconcertar com várias facetas na mesma personalidade. O what you see is what you get está um pouco fora de moda e quase nunca corresponde à verdade. Claro que demora um pouco para conhecermos o lobo debaixo da pele de cordeiro ou a descascar as camadas da cebola mas, mordidelas e lágrimas à parte, é muito melhor que tentar encontrar algo escondido numa vulgar mosca ou banal batata. O risco de se encontrar algo que não se estava à espera faz parte do jogo.




Dialectos de ternura

Há muito tempo que não gostava tanto de uma música portuguesa.




Da terra até à lua, mano, é sempre a subir
e somos grandes, gigantes, com dez metros de altura
Falamos vinte línguas
Dialectos da Ternura

quarta-feira, junho 20, 2007

F... you, Berardo

Sim, o Rui Costa está velho aos 35 anos e o Sporting, esse clube que no último ano vendeu tudo o que tinha menos o Moutinho, o Veloso, o Liedson e dois rolos de papel higiénico para pagar salários, é que é um exemplo.
O Milan, que por acaso é o campeão europeu, e joga com o Maldini (39 anos para a semana), Cafú (37 anos), Favalli (35), Inzaghi (34), Dida (33), Nesta (31), Seedorf (31), Ambrosini (30) e com Costacurta (41) no banco e não raras vezes em campo, é um exemplo a evitar.

terça-feira, junho 19, 2007

Ou seria como é que o McGyver sai do deserto tendo apenas um canivete e uma laranja?


Como é que o Sócrates ganha a Câmara de Lisboa apenas com um projecto do Aeroporto da Ota e uma Confederação da Indústria? Usa a confederação para partir o projecto do Aeroporto em dois: Ota e Alcochete. Junta o rio Tejo com a Ota e faz os lisboetas passar por otários durante seis meses. Ganha a Câmara, dá uns tiros na Confederação da Indústria e no projecto de Alcochete e continua com a Ota.

A vida

A vida é composta de três partes: Nascer, Viver, Morrer.

Parte I: Nascer
Depois de 9 meses (mais ou menos) de confortável vida intra-uterina a coisa não é fácil. Sair apertado de rompante para tanta luz e barulho, roupa àspera, mãos chatas, beijos repenicados, colchões rijos estraga completamente o dia de qualquer um. Isto para não falar nas fotografias e nas visitas imbecis que teimam em grunhir umas coisas incompreensíveis. Será/foi/terá sido/é um dos piores dias que vos poderão calhar em sorte. Se tiverem mesmo sorte nunca vos acontecerá. Por outro lado, depois de passar as coisas só podem melhorar. E daí...

Parte II: Viver
Começa logo a seguir à primeira parte e vai mesmo até ao início da terceira. É a maior das três mas é mesmo muito sobrevalorizada. Afinal que gozo pode ter passsar uma série de tempo (de horas a anos) a ter de cumprir regras? São as leis da física, o código da estrada, o código fiscal, a escolaridade obrigatória, a lei militar, as normas da decência, conduta e boa educação, a lei da selva, as leis de Murphy, os Standard Operacional Procedures da empresa, os direitos da Criança, do Animal e do Homem (não necessariamente por esta ordem), a Constituição, a lei do mais forte, o código do trabalho, o programa obrigatório de vacinação, as leis do futebol, o protocolo de Quioto, o código ético e deontológico, as condiçoes contratuais dos empréstimos bancários, televisão, luz, àgua, gás e telefone e internet, as leis da vida, as leis da genética, as regras da gramática e o acordo ortográfico, a convenção de Genebra, as instruções do monopólio, o código civil e o penal, as condições da garantia do que compramos, o sistema internacional de unidades, a lei da oferta e da procura, os 10 mandamentos ou equivalente religioso ou moral e, não menos importante, o regime da propriedade horizontal, vulgo condomínio. Chiça penico, abrenúncio Satanás, arre espiga... é que nunca mais vos largam... tens de fazer isto assim e aquilo assado, não podes fazer isso... por vocês não sei mas eu dava-me por contente em ser um calhau e lentamente erodir-me durante uns milhões de anos, com o ocasional arremesso, e, sorte máxima, saltitar umas quantas vezes numa lagoa ou mar. E vá, se encontrasse uma pedra bem feita, simpática, gira e bem disposta, soltar o tradicional piropo geológico “és cá uma lasca!” e talvez pensar em juntar os trapinhos e gerar uns tantos seixos...

Parte III: Morrer
Tradicionalmente a parte mais fácil de cumprir neste teatro. Muitas vezes nem temos de fazer nada. Basta estar tranquilamente sentado numa esplanada na faixa de Gaza, o gajo com ar esgazeado (tradicionalmente um local que diz: This is a local shop for local people. There's nothing for you here em árabe) sentado ao nosso lado puxa um cordel e já fomos. Ou isso ou engasgados com uma ervilha, fulminados por um raio, esmigalhados por um piano de cauda, afogados numa cuspidela do Shaq (rare but it's been known to happen) ou ainda vítimas de uma súbita e irreprimível vontade de descobrir o sabor de um gelado de cianeto. Umas são mais divertidas que outras. Se não o conseguirmos fazer sozinhos é certo que há sempre um bom samaritano disposto a ajudar-nos a fazer a travessia do estado vivo para o morto e nem cobram nada pelo bilhete. Convém avisar que a viagem de regresso quase nunca está incluída no negócio.

E pronto, é isto, mais coisa menos coisa. Há quem diga qualquer coisa sobre um filho, um livro e uma árvore mas isso já são picuinhices...

segunda-feira, junho 18, 2007

sexta-feira, junho 15, 2007

Afinal, amar ao próximo é tão démodé

O Vaticano pede aos católicos que não ajudem a Amnistia Internacional, por causa do seu apoio ao aborto em casos de violação, incesto e perigo de vida para a mãe.

Faltam cadáveres (versão apócrifa, adulterada e mais negra que o fundo do poço)


Por isso, a FMUP apela ao filantropismo dos portugueses na doação de corpos para fins científicos, sexuais, necrofilia e palhaçada em geral. «As aulas de anatomia, os disfarces de carnaval e a investigação médica, com recurso à dissecção de cadáveres humanos e vivissecção daqueles que ainda não estavam completamente cadáveres, estão seriamente comprometidas. Em causa está a falta de cadáveres doados, vendidos ou emprestados ao Instituto de Anatomia (IA) da Faculdade», refere, em comunicado, a FMUP. Em declarações à agência Lusa, Manuel Paula Barbosa, do IA, referiu que a instituição recebe, em média, entre seis a nove cadáveres por ano para dissecção, 3 por correio, 2 entregues em mão e os restantes pelo próprio pé. Manuel Barbosa sustentou que o número desejável é de 24 completos ou 36 se vierem desmontados. «A dissecção é um método de ensino e de aprendizagem excelente e quem ainda não experimentou não sabe o que perde. Além disso é um divertimento para toda a família. Lá em casa no Natal e nas festas não dispensamos.», disse o investigador, acrescentando que actualmente estão inscritas 1554 pessoas como doadoras do seu cadáver para dissecção e estão neste momento a chamar a senha 634 que é o senhor Joaquim Apolinário. «Senhor Joaquim? Apresente-se na morgue, por favor».
Manuel Paula Barbosa frisou também que, «mais do que a falta de declarações de doação, o problema da faculdade passa pelo incumprimento da vontade expressa dos doadores por parte dos familiares, que ignoram o gesto altruísta de ceder o corpo para estudo só porque também o querem». «O problema é que os corpos ou chegam em mau estado, abusados, mutilados, sem as melhores partes ou não chegam cá de todo. As famílias não cumprem a vontade do doador por múltiplas razões, mas essencialmente por Gula, Luxúria, Avareza, Ira, Soberba, Vaidade, Preguiça ou razões religiosas», lamentou, roendo um fémur já um pouco ressequido.
Manuel Barbosa salienta que, «em todo o processo inerente ao uso e abuso de corpos para estudo, divertimento pessoal ou investigação, os médicos, cientistas, curiosos, tarados e estudantes de medicina têm a máxima consideração pela dignidade pessoal e social do falecido e dos seus familiares, pelo menos enquanto estes nos podem ouvir e ver. Depois disso é cada animalidade que o melhor é nem falar nisso. São só bocas porcas e actos de indescritível selvajaria». «As cerimónias fúnebres que antecedem o acto de doação ou outras homenagens em nada são prejudicadas e os ritos satânicos que se seguem têm tudo a ganhar. Para além disso, a entidade cientificamente beneficiada fica responsável pela cremação ou inumação dos restos mortais dissecados, as sobras na gíria cá da malta, findos os estudos, quando aquilo começa a cheirar mal ou já não se aproveita nadinha», sustenta Manuel Barbosa.
Para o responsável, a dissecção de cadáveres é um método que dá aos estudantes de medicina uma competência única: a humanização. E vá, habilitações culinárias para fazerem cá um festival de carne pútrida que até estrafelgam. Ou filmes daqueles que aparecem na net em sites pervertidos, onde acrescentou, "nunca estive mas conheço de ouvir falar". «Um aluno do primeiro ano de medicina quando contacta pela primeira vez com um cadáver treme. Lá mais para o terceiro ri-se. No quinto já coça as costas com um braço mumificado, tem uma pila envernizada como pisa-papéis e uma mama como almofada de carimbos. Nem vos vou contar o que usam como pousa lápis. Esta faceta da humanização do médico, apesar de ser cada vez mais escassa, é vital», realçou. Segundo referiu, as pessoas que entregam os cadáveres são de «uma faixa social intelectualmente bastante desenvolvida porque aceitam a vontade do doador e fazem disso um ponto de honra. E além disso, se pagarem bem, deixamos que depois venham assistir ao desmembramento e até podem filmar e tirar fotos com os pedaços que mais gostavam».
Assim, Manuel Barbosa «apela à generosidade, ao filantropismo e à vontade de morrer dos portugueses» e lembra que «ao doar o cadáver (partes ou mesmo em vivo) ao ensino, depravação e à investigação, os cidadãos estão a contribuir para formar melhores médicos, melhores tarados e depravados, com conhecimentos mais sólidos ou rijinhos depois de uns dias, mais humanismo e um sentido de humor negro muito apurado , logo, mais aptos a tratar da saúde aos vivos. Não perca mais tempo e inscreva já o seu vizinho, patrão, sogra, ex-namorada/o. Aceitamos de tudo nem que seja para a sopa. E se ainda estiver morno ou a mexer melhor. É quinar, malta! Esticar o pernil, abotoar a casaca, vestir o sobretudo de pinho, bater a caçuleta, ir desta para melhor.».

quinta-feira, junho 14, 2007

Príncipe das Astúrias das Artes 2007



Yes, to dance beneath the diamond sky with one hand waving free,
Silhouetted by the sea, circled by the circus sands,
With all memory and fate driven deep beneath the waves,
Let me forget about today until tomorrow.

depois do amanhecer...

Estrelas nascem e morrem, explodem na minha cabeça, mundos rodam lentamente cumprindo o seu roteiro enquanto cá fora a chuva cai de mansinho e o sol nasce para acordar milhões para mais um dia. Mundos dentro de mundos, a escala é tudo. Indiferente ao que por outros planos acontece, para mim o exterior real passa ali a ser algo de incorpóreo e o incorpóreo real e alheio à restante população. Transferido temporariamente para os recantos do que está fora do alcance da mesquinhez humana, da vidinha corriqueira do dia-a-dia, refugiado naquele mundinho bom onde nem tudo obedece à minha vontade mas onde sei que os acontecimentos são da minha subconsciente responsabilidade. Chamem-lhe dissociação. Chamem-lhe fuga. Chamem-lhe delírios. Como quiserem. Dá-me igual. Se quiserem mesmo chamar-lhe qualquer coisa, chamem alto e abanem-me porque de outra maneira não vos vou ouvir. Queria tanto voltar para lá agora. É que estava-me a saber mesmo bem; dormia sossegado no mundo real e sonhava feliz com tanto do que persigo.

Raios partam o despertador, némesis inclemente que destruíu de um ápice todo um maravilhoso universo de arquétipos sem repor o equilíbrio naquele para o qual cruelmente me despertou...

quarta-feira, junho 13, 2007

Não sei o que o Vaticano dirá disto...


Não do biquini, mas do preservativo para telemóveis.

Mler ife dada - zuvi zeva novi




Zuvi! zuvi zevá, vá vanovi!
Zuvi zevá! vá, vá, vá vanovi.
Zuvi zeva novi? zuvi zeva novi.
Zuvi zava zivi zeva novi!...

Salta no ar, rebola de lado!
Sépia salmão, cheiro alvado...
Salta no ar, rebola de lado!
Sépia salmão, cheiro alvado...

Ele aí cai, zuvi vai ver,
Mirar a montra, sorrir de prazer,
Caixinha, cor, mar, corinto, então?
Ainda a dança jinga na mão!

Taste a mar, hortelã gel,
Rola no ar, patinha no mel!
Taste a mar, hortelã gel,
Rola no ar, patinha no mel!

Ele aí está, zuvi vai ter
Hálito bombom, bom a valer!
Caixinha, cor, mar, corinto, então?
Ainda a dança jinga na mão!

Zuvi zeva zuvi zeva zuvi zeva novi,
Zuvi zava zivi zeva novi ah!
Zuvi zeva zuvi zeva zuvi zeva novi,
Zuvi zava zivi zeva novi ah!

Âh!...Ah!...Zuvi zeva novi?
Ah!...Ah!...Zuvi zeva!

terça-feira, junho 12, 2007

see the light


Santos Populares


Como é tempo delas cá ficam umas quantas rimas:

Eu queria ser um chinelo,
Chinelo que tu calçasses,
Para ir onde tu fosses,
Para estar onde tu estasses
(anonimo)

Eu queria ser rico
Para te dar um castelo
Para que tu me contemplasses
Como eu te contempelo

(anonimo)

Viva as meninas bonitas,
boa salada e sardinhas.
Gosto delas bem regadas,
pequeninas e gordinhas!
(by SC)

Viva a bola a rolar junto ao pé
Seguida de cerveja e sardinha
Vai tudo para os lados da Sé
O menino e a menina magrinha
(catarse)

É disto que o meu povo gosta
De bola e comezaina em alfama
Sardinhas e camarão da costa
E bailarico com as dama

(catarse)

Vou tocar uma bela música na minha concertina
E comigo vai tocar a boa da Rute Marlene
Era coisa prá noite toda até ver o sol lá em cima
Atrás de um qualquer arbusto ou dentro de um Citroen
(catarse)


segunda-feira, junho 11, 2007

You've really got me & All day and all of the night - dose dupla de kinks



Girl, you really got me goin’
You got me so I don’t know what I’m doin’
Yeah, you really got me now
You got me so I can’t sleep at night

Yeah, you really got me now
You got me so I don’t know what I’m doin’, now
Oh yeah, you really got me now
You got me so I can’t sleep at night

You really got me
You really got me
You really got me

See, don’t ever set me free
I always wanna be by your side
Girl, you really got me now
You got me so I can’t sleep at night

Yeah, you really got me now
You got me so I don’t know what I’m doin’, now
Oh yeah, you really got me now
You got me so I can’t sleep at night

You really got me
You really got me
You really got me
Oh no...

(solo)

See, don’t ever set me free
I always wanna be by your side
Girl, you really got me now
You got me so I can’t sleep at night

Yeah, you really got me now
You got me so I don’t know what I’m doin’, now
Oh yeah, you really got me now
You got me so I can’t sleep at night

You really got me
You really got me
You really got me



I'm not content to be with you in the daytime
Girl I want to be with you all of the time
The only time I feel alright is by your side
Girl I want to be with you all of the time
All day and all of the night
All day and all of the night
All day and all of the night

I believe that you and me last forever
Oh yea, all day and nighttime yours, leave me never
The only time I feel alright is by your side
Girl I want to be with you all of the time
All day and all of the night
All day and all of the night
Oh, come on...

I believe that you and me last forever
Oh yea, all day and nighttime yours, leave me never
The only time I feel alright is by your side
Girl I want to be with you all of the time
All day and all of the night
All day and all of the night time
All day and all of the night

compliquex.pt

Nunca tive problema nenhum para registar um domínio de internet. Sempre registei os .com e os .net que me apeteceu, desde que não estivessem ocupados, e ninguém teve nada com isso. Agora alguém decidiu que era melhor ter um registo .pt. Problemas: só provando que se é detentor da marca ou da firma. Tirando isso ninguém regista nada .pt. Disse-me um rapazinho do atendimento telefónico da FCCN, que me parecia estar a ler o guia de apoio ao cliente da TV Cabo.
A burocracia amarrou a internet. Está bonito, está.











Porque o verão é mesmo isto: Sol, Praia, Relax, Amigos, Mar, Petiscos, Cerveja, Música, Cumbíbio... O cheiro a protector solar, as toalhas carregadas de areia molhada, os salpicos das ondas, os mergulhos na àgua gelada, as raquetas a abrir, o tradicional jogo de bola dos brinca-na-areia, o pôr do sol, os bares da praia, as discotecas ao ar livre, o nascer do sol, o barulho do mar numa praia deserta, as refeições sem hora nem ordem, um livro lido ao sabor da vontade e da preguiça, o gozo puro de não ter prazos para nada nem nada a prazo... Isto vale muitas e muitas horas preso entre 4 paredes!

Sítio do picapau amarelo!

sexta-feira, junho 08, 2007

A vida é curta. Divorcia-te.


A campanha da advogada Corri Fetman tem provocado polémica em Chicago. O slogan faz-me lembrar aquele verso que cantam muitos dos meus amigos: "A vida inteira não chega, para Amar."

Sexta feira que até parece 13...

Ninguém trabalha nesta 6a-feira??? Seus trastes! Seus urubus! Ou ainda como ouvi nesta quinta-feira à beira de uma piscina ensolarada em Évora enquanto derrotava copiosamente a minha adversária de ocasião num tabuleiro de xadrez, seus cagalhões de outono, isto no bom sentido e respeitosamente claro. Era distribuir chapadas até à morte, seus madraços! Venham trabalhar que isto assim não anda para a frente! Biltres, facínoras, pulhas, crápulas! Alguém que venha para aqui que eu vou-me já embora... pfffff era bom era.....

Desisto... a verdade é que isto é inbeeeeeeeeeja da boa!
O que eu sinto mesmo é:
(Pink Martini – Sympathique lyrics)

Ma chambre a la forme d'une cage
Le soleil passe son bras par la fenêtre
Les chasseurs à ma porte
Comme les p'tits soldats qui veulent me prendre

Je ne veux pas travailler
Je ne veux pas déjeuner
Je veux seulement l'oublier
Et puis je fume

Déjà j'ai connu le parfum de l'amour
Un million de roses n'embaumerait pas autant
Maintenant une seule fleur dans mes entourages
Me rend malade

Je ne veux pas travailler
Je ne veux pas déjeuner
Je veux seulement l'oublier
Et puis je fume

Je ne suis pas fière de ça
Vie qui veut me tuer
C'est magnifique être sympathique
Mais je ne le connais jamais

Je ne veux pas travailler
Non, Je ne veux pas déjeuner
Je veux seulement l'oublier
Et puis je fume

Je ne suis pas fière de ça
Vie qui veut me tuer
C'est magnifique être sympathique
Mais je ne le connais jamais

Je ne veux pas travailler
Non Je ne veux pas déjeuner
Je veux seulement l'oublier
Et puis je fume

quinta-feira, junho 07, 2007

Moving on up - Primal Scream



I was blind, now I can see
You made a believer, out of me
I was blind, now I can see
You made a believer, out of me

Im movin on up now
Gettin out of the darkness
My light shines on
My light shines on
My light shines on

I was lost, now Im found
I believe in you, Ive got no bounds
I was lost, now Im found
I believe in you, I got no bounds

Im movin on up now
Gettin out of the darkness
My light shines on
My light shines on
My light shines on

Repeat chorus

Im getting outta darkness
My light shines on
Im getting outta darkness
My light shines on

quarta-feira, junho 06, 2007

SUN



Here you come again with the wind at your heels
The brightest thing I've seen for years and years

You are the sun
It's where you're from
And where I'm going to
The light you shine
Can always change
My grey skies into blue

You walk with the heat turned up and a fire in your eyes
Could feel you coming for miles and miles

You are the sun
It's where you're from
And where I'm going to
The light you shine
Can always change
My grey skies into blue

You are the sun
It's where you're from
And where I'm going to
The light you shine
Can always change
My grey skies into blue

You are the sun
It's where you're from
And where I'm going to
The light you shine
Can always change
My grey skies into blue

Flirt – Ui ui que é tão bom ou como conseguir arranjar maneira de nos metermos num belo molho de bróculos

É daquelas coisas, o flirt, que todos fazemos quase inconscientemente, uns mais outros menos, uns melhor outros pior, mas de facto já todos fizémos. E é tããããão bom. Pode até não dar em nada, ser apenas entendido como um hobby, um engate ligeiro, uma troca de piropos, uma maneira agradável de passar um tempinho divertido com outra pessoa que alinha no jogo, pode ser a vontade não concretizada de confessar o inconfessável ou uma atracção passageira que nos massaja o ego. Por outro lado, pode ser o início de alguma coisa mais séria, o acordar de algo que estava dormente, o nascer de uma paixão forte ou uma maneira de ultrapassar a barreira inicial entre desconhecidos. Pode acontecer num bar, na rua, nos transportes, na net, no trabalho, no ginásio ou numa loja. Quando queremos ou quando não estamos à espera. Com quem escolhemos ou com quem não estava nos planos. Solteiros ou comprometidos. Mais inocente ou quente que ferve. Seja como for sabe mesmo muito bem quando acontece recíprocamente. Vicia, contagia, anima, alegra, entusiasma. Tem todo um conjunto de regras não escritas (ou neste caso parece que as escreveram) que são seguidas numa cumplicidade não verbalizada. Leva-nos aos píncaros quando a faísca dispara ou até à dura realidade quando termina. A questão é fazer com que corra bem, que seja agradável para os envolvidos e que (às vezes não dá mesmo para evitar) não nos meta num grande molho de bróculos, numa salgalhada incrível, num berbicacho dos diabos. Mas se tem pernas para andar ou se nos “distraímos” é tão fácil isso acontecer... quando damos por ela a brincadeira ficou mais séria, mais intensa, cegos pela chama da paixão, surdos pelo canto da sereia já não sabemos parar, já não queremos sair... estamos apanhados num vórtice de emoções, numa espiral vertiginosa que não nos deixa pensar no que estamos a fazer e puff fez-se o chocapic... já não temos o controlo de nada! Só queremos mais e mais e mais e só podemos esperar que tudo corra pelo melhor neste mergulho, perdida a razão e a lucidez que nos diziam para não nos metermos nessa, que aquilo nunca vai dar certo, para fugir dali a sete pés... mas, vendo bem, desde quando é que a razão e a lucidez são para aqui chamadas?! ;)

terça-feira, junho 05, 2007

estórias nicola

Palavras para quê? O significado da vida está nos pacotes de acúcar! (clicar para aumentar)




Ainda a Original Sound Traque de há dois posts atrás

Pensámos em "O meu chapéu tem três bicos", mas seria tão gratuito...

segunda-feira, junho 04, 2007

Ralações...

Intrincadamente entretecido na psique humana está a necessidade de confiar, de acreditar. Mesmo ao lado moram, no entanto, o medo e o preconceito. Profundamente enraizados e ligados pelos sempre presentes circuitos neuronais de castigo-recompensa que nos movem, estas duas faces da mesma moeda fazem de nós aquilo que somos, entidades duais, balanças de dois pratos que oscilam entre o equílibrio total que tolhe e o desequilíbrio unilateral que igualmente paralisa num extremo.

Realmente não há melhor sensação que a da entrega, a da confiança cega em alguém a quem nos entregamos (assim como não há pior que a traição). Como no exercício de reforço da confiança, é bom saber que temos alguém que nos apanha quando caímos de costas ou de olhos fechados. Como uma criança indefesa que adormece nos braços de quem confia. Mas basta uma queda, uma falha, uma traição para que tudo retorne ao zero. Então se a queda for grande fica a marca gravada que nos impede de voltar aos anteriores níveis seja com quem for. Jogamos à defesa, com cinismo e ironia, para auto-defesa. E como isso se sente ninguém se aproxima muito o que reforça a coisa num ciclo vicioso. Pelo menos durante uns tempos, até que a verdadeira natureza do que somos volta ao comando. Para quebrar esses ciclos, recuperada a coragem, é preciso correr riscos e cair mais e mais vezes, principalmente quando vale a pena a recompensa (embora tenha de admitir que existem correntes contra as quais não vale a pena remar, por fortes demais, dessimuladas ou traiçoeiras – mas temos de as descobrir por nós próprios).

Sempre gostei do risco. Confio sempre mais do que devia. Atiro-me sempre de cabeça, por impulso, para contrariar. Tudo a 110%, sempre a fundo, sempre excessivo. Se gosto tudo se resolve. Se correr mesmo mal não há volta atrás nem perdãozinho barato ou cínico em nome das aparências. Detesto pragmatismo de sentimentos – as coisas vivem-se, sofrem-se e gozam-se da mesma maneira, com a mesma intensidade. Quem se defende da dor e do falhanço também não vibra com a alegria e com a vitória. Quero lá saber do que é sensato, do que é razoável, do que devia ou não fazer, de meios termos e compromissos. Vivo no sonho do Marc Franz. Vivo nas tiras do Roy Lichtenstein e do Frank Miller. Vivo no jardim das delícias de Hieronymus Bosch. Claro está que às vezes vivo na fase escura do Goya. No grito do Munch. Na abstracção de Kandinsky (resquícios dos museus no fim de semana em Madrid).

Até agora já descobri muito do que não quero, do que não resulta. E acredito, continuo a tentar, a mudar, a crescer, a aprender, à procura do que resultará, do que fará sentido da maneira que quero que faça. Para ser mais claro estou a falar da vida em geral. Do que quero fazer (nada do que fiz até agora certamente), do local onde quero viver (Lisboa chega perto, muito perto; gosto bastante, mas será?), do estilo de vida que quero ter (isto já está mais assente, só faltam detalhes), de quem quero para ficar ao meu lado... (ui ui...). Já devia ter mais juízo (ou menos) por esta altura mas acredito que as recompensas chegam na directa proporção das tentativas pelo que não deixo de tentar nem me contento com menos do que espero...

Canções da nossa infância meet Apito Dourado

Tudo começou no Incontinental a propósito do filme de João Botelho sobre Carolina e Giorgio e há já quem fale em Original Sound Traque para o filme.
O Incontinental deu o mote:

Papa-gajos loura
do Apito Dourado,
vendias o corpo
aos teus namorados.

Eles não eram frades
mas homens casados:
Dirigentes de clube
e árbitros "comprados".

Papa-gajos loura
do Apito Amarelo
deixaste a noite
com um livro no prelo.

Agora és mulher séria
Quem pode duvidar?
E gente é o que não falta
p'ra te canonizar.

Este vosso amigo deu continuidade na caixa de comentários:
Atirei o guito ao árbitro,
e o apito nem piou,
O adepto orgulhou-se
Do jogo, do jogo
Que o Porto roubou, uuuuu!!!!

Bebo whiskies com o árbitro,
solto flatos, dou-lhe nota!
Viagens Cosmos, putas a rodos,
O caneco é nosso, àguia maldita.

E a Clarisca prosseguiu em grande estilo:
A passarinha da Carolina
Andou muito de mão em mão
(repete, quantas vezes for preciso)
Começou no bar de alterne
Parou na SAD do Dragão

Parou na SAD do Dragão
mas não foi por muito tempo
Que havia alguém na claque
Que não soltava tanto traque

Que não soltava tanto traque
E tinha amigos de briga
Por causa dessa amizade
Lixou-se o Dr. Bexiga

Dá também a tua contribuição para a Sound Traque!