domingo, janeiro 29, 2006

Piada privada, ou o eterno retorno...

-Isto hoje neva!
-Tás doido! Em Lisboa não neva.
-Olha que isto hoje neva.
-Não neva, nada.
-Olha que sim.
-Olha que não.
-Isto neva, neva...
-Não...
-Ou há alguém com muita caspa sentado no teu tejadilho ou neva...
-É caspa...
-Olha que que está a nevar...

quinta-feira, janeiro 26, 2006

quarta-feira, janeiro 25, 2006

Que horas são agora em Kuala Lumpur?

Diálogo provocado por um discurso de Pinto da Costa:
- Não sei como é que alguém inteligente pode ser radical em relação a seja o que for... - diz ela, em tom provocatório.
- Não sei como é que alguém inteligente pode ser do FC do Porto... - responde ele, de forma radical.

segunda-feira, janeiro 23, 2006

2

Autocarro de aeroporto em Roma-Fiumicino. Um homem está a abraçar uma mulher sardenta, que está de costas para ele. Roupas leves e sapatilhas. Ele tem uma mochila às costas. Têm os dois quarenta anos. O burburinho que os rodeia em nada interfere com a sua paz. São a imagem viva do amor e da felicidade.

Desde esse dia que não consigo ter sonhos só para um.





Butterò questo mio enorme cuore tra le stelle un giorno
giuro che lo farò

Do tamanho apenas


De que tamanho queremos a nossa?

No fundo, foi também esta a argumentação do Cavaco...

O Marcel é o Marcel, o Serjão é o Serjão.

Serjão, novo reforço da Briosa, na sua apresentação em Coimbra

sexta-feira, janeiro 20, 2006

O que Alegre fará dia 22 à noite

O cadáver jazia ainda sobre a cama, já vestido, à espera do caixão.
A passos lentos aproximou-se e fitou durante alguns momentos a figura hirta e mirrada do defunto. De repente, num ímpeto, deitou-lhe as mãos às abas do casaco, ergueu-o e rouquejou, fora de si:
- Estás morto, é o que te vale. Mas mesmo assim não vais deste mundo sem duas bofetadas na cara, covarde!
E deu-lhas!



Miguel Torga, A Confissão (Novos Contos da Montanha)

Soraia


A Sic Radical podia ficar semanas a passar em loop a entrevista que esta moça deu ontem ao Pedro Ribeiro. Os outros canais podiam fechar nesse período.

(Se uma pessoa que eu cá sei tivesse estado ao meu lado ontem não teria parado de dizer: "Tira esse sorriso estúpido da cara!")

quinta-feira, janeiro 19, 2006

quarta-feira, janeiro 18, 2006

Espelho meu

Há uns meses vi uma entrevista do Figo, em que lhe mostraram uma fotografia de quando tinha vinte anos e longos caracóis e perguntaram o que achava daquele penteado.
O Figo, nessa entrevista com um cabelo mais ridículo do que nunca, fez um ar meio envergonhado, meio divertido e disse "São coisas da idade".
Também a mim, quando "olho para o que fui" em determinados momentos, me apetece perguntar, meio envergonhado, meio divertido: "Espelho do que fui eu, havia alguém mais ridículo do que eu?"

Factor humano


terça-feira, janeiro 17, 2006

O estado da ética

Mário Soares vai visitar uns estaleiros navais em Viana do Castelo e garante aos trabalhadores que o governo não está a pensar privitizá-los. Segundo Soares, foi o ministro da Defesa quem lhe telefonou da China e lhe disse que podia transmitir a boa nova.
Desde quando é que um candidato a Presidente da República faz anúncios em nome do governo?
Por que raio é que o ministro em visita à China telefonou a Mário Soares?
Quem é que pagou a chamada China-Portugal, para o Sr. ministro falar com Mário Soares?

Quem é que paga a viagem de Sócrates ao norte do país para jantar com Soares?

segunda-feira, janeiro 16, 2006

Fin de la Ronde


O Estado da justiça II

O processo apito dourado não avança.
E, em resultado disso, a época futebolística voltou a ser estranha como as de antigamente.

Há duas jornadas o Porto jogou com o Penafiel. Na jornada anterior o melhor (quase único) jogador do Penafiel, N'Doye, foi expulso por uma falta que não cometeu e não pôde jogar contra o Porto.

Na jornada passada o Porto jogou contra o União de Leiria e o melhor jogador do Leiria, Maciel, emprestado pelo Porto, não jogou devido a um "acordo de cavalheiros" entre os dois clubes, o que é claramente contra os regulamentos.

Esta semana o Porto jogou contra o Estrela da Amadora. O guarda-redes do Estrela, Bruno Vale, emprestado pelo Porto, lesionou-se misteriosamente a meio da semana e não jogou (querem apostar que esta semana já joga?) e Paulo Machado, emprestado pelo Porto e uma das figuras da equipa, não saiu do banco, apesar de na segunda parte ser óbvio que o Estrela precisava de um jogador com as características dele em campo.

Parece que voltou a ser preciso mover montanhas para ganhar ao Porto.
Tudo, creio eu, porque o apito dourado não avança.

O Estado da Justiça I

O PS não descansará enquanto não convencer Jorge Sampaio a mandar embora Souto de Moura. O tempo escasseia para Sampaio enquanto Presidente e Cavaco não será propriamente influenciável pelo PS, pelo que a pressão tem aumentado de forma ridícula nos últimos dias. É tempo de vingança.

É triste que seja isto que aconteça a quem mexe com os poderes instalados...

sábado, janeiro 14, 2006

sexta-feira, janeiro 13, 2006

O candidato

Vi ontem os 20 minutos finais da entrevista de Garcia Pereira no Canal 1. Mesmo considerando uma ou outra coisa dita em matéria do que deve ser o futuro da economia do país, que eu considero disparates, foi sem dúvida a melhor intervenção feita por um candidato à presidência.

Entre muitas muitas outras coisas certas e ditas sem medo, Gacia Pereira foi capaz de dizer a coisa óbvia e fundamental, que nenhum outro candidato diz: se um governo é eleito com base numa promessa de não aumentar impostos e os aumenta, é obrigação do Presidente da República chamar o primeiro-ministro e anunciar-lhe que ou ele volta atrás com a decisão ou o seu governo acabou.

É isto que eu espero de um Presidente da República, mesmo que tratando-se de Garcia Pereira eu fique um pouco assustado por o admitir...

O polígrafo


quinta-feira, janeiro 12, 2006

quarta-feira, janeiro 11, 2006

terça-feira, janeiro 10, 2006

TGV

Um texto muito interessante sobre o TGV.

Bom dia

De há dois dias para cá tenho a tentação de ver o meu mail antes de sair de casa.
Qualquer desculpa é boa para ver a Scarlett Johansson, deitada num sofá posto no meio do desktop, a desejar-me um bom dia.

segunda-feira, janeiro 09, 2006

"a luz deve servir a narrativa..."


Lasciare la bicicletta sul muro



Cosa sarà?, Lucio Dalla e Francesco de Gregori


Cosa sarà che fa crescere gli alberi, la felicità,
che fa morire a vent'anni anche se vivi fino a cento?
Cosa sarà a far muovere il vento,
a fermare un poeta ubriaco,
a dare la morte per un pezzo di pane o un bacio non dato?
oh... cosa sarà
che ti svegli al mattino e sei serio,
che ti fa morire ridendo di notte all'ombra di un desiderio?
oh... cosa sarà
che ti spinge ad amare una donna bassina e perduta,
la bottiglia che ti ubriaca, anche se non l'hai bevuta?

Cosa sarà che ti spinge a picchiare il tuo re,
che ti porta a cercare il giusto dove giustizia non c'è?
Cosa sarà che ti fa comprare di tutto anche se è di niente che hai bisogno?
Cosa sarà che ti strappa dal sogno?
oh... cosa sarà
che ti fa uscire di tasca dei "no, non ci sto",
che ti getta nel mare e ti viene a salvare?
oh... cosa sarà
che dobbiamo cercare... che dobbiamo cercare?

Cosa sarà che ci fa lasciare la bicicletta sul muro
e camminare a sera con un amico a parlare del futuro?
Cosa sarà questo strano coraggio o paura che ci prende
e ci porta ad ascoltare la notte che scende?
oh... cosa sarà
quell'uomo e il suo cuore benedetto,
che sceso dalle scarpe e dal letto, si è sentito solo
e come un uccello che in volo...
e come un uccello che in volo si ferma e guarda giù...


sexta-feira, janeiro 06, 2006

brave new world


Comentários

Na sequência de muitas queixas, abrimos completamente as nossas caixas de comentários. É comentar, ó fregueses!

Uma questão de n (n de Neidi)

Grande capa a do Independente de hoje. Ficamos a conhecer a Neidi. A Neidi é uma brasileira que trabalhava num restaurante e agora é coordenadora do gabinete de logística do Ministério da Justiça. Ganha 1700 euros dos nossos impostos por mês. Tem contrato por três anos.
Ficamos ainda a saber que o nosso amigo Constâncio (ainda ontem falei dele) tem investido na frota automóvel do Banco de Portugal. E que das contas do Exército estão desaparecidos 17 milhões de euros. Coisa pouca.

A questão pertinente é: quem é que andava a comer na Neidi?

Janeiro de 2006

A gravata vermelha do Cavaco assusta-me tanto como a ida do Jerónimo ao Benfica. Se o falar arrastado de Soares me dá uma vontade sincera de comer um pratinho de chispe ensalsado, a lingua ponta e mola do Louça dá-me ainda mais. Fica o Pereira e os funerais à chuva. Embora esteticamente aprecie os dois, politicamente prefiro os segundos. De resto: queria voltar a ter net em casa.

quinta-feira, janeiro 05, 2006

Wishful thinking

Há quantos anos é que Vítor Constâncio e o Banco de Portugal andam com a conversa de que "este ainda vai ser um ano mau, mas para o ano começa a retoma"?

Uma vez ainda pode ser entendido como uma tentativa de criar expectativas. Tantas vezes só pode ser incapacidade...

quarta-feira, janeiro 04, 2006

GooglePC

Um computador por menos de 200 euros, com ligação à internet e todo o software "tipo office" disponível on line?
Correm rumores de que será o novo produto da Google.

segunda-feira, janeiro 02, 2006

Humanos, em versão para chinês

Muda de vida
Não deves vender contrafeito

Abraço solidário

Neste início de ano a minha primeira palavra vai para o nosso primeiro-ministro José Sócrates. Esse bravo guerreiro que deixou os portugueses a esbanjar os seus fabulosos aumentos de 1,5% e foi enfrentar o rigoroso frio das neves suíças, tendo-se lesionado na sempre difícil luta por um melhor ski.

Rápidas melhoras, Eng.º Sócrates. V. Exa. transpira rigor, bom senso e sentido de Estado.