sábado, março 01, 2008

Deusa

A eterna questão sobre se Deus existe parece esquecer um pormenor importante: o género!

Porquê esta insistência num Deus masculino e que criou o Homem à sua imagem e a mulher a partir de uma costela deste? Este masculinocentrismo que prespassa toda a civilização ocidental bem que já ia dar uma volta ao bilhar grande... É que bem vistas as coisas, não podemos falar de uma representação plena da Humanidade sem mencionar os dois lados que a compõem, o yin e yang, o masculino e o feminino. Não somos uma sociedade matriarcal mas longe vão os tempos em que à mulher era apenas reservado um papel secundário nesta trama. Entenda-se secundário, mesmo nesses tempos, como apenas aparente porque mesmo (e a maior parte das vezes é mesmo assim) os maiores machistas caem derretidos (ainda que a maioria apenas no retiro escondido do lar) aos pés da eleita do seu coração. E vice-versa (sim, nada de feminismos exacerbados porque isto vale para os dois lados).

Pessoalmente assumo que posso até ter algumas dúvidas teológicas por resolver mas não tenho nenhuma dúvida sobre quem é a minha Αφροδίτη.

4 comentários:

Merr disse...

Attention!

Ariadne disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Ariadne disse...

Ambas as partes sao fundamentais quando contextualizadas no fim primordial da existencia. Porém, facto será que as regras do prazer se mostram bem diversas. A apoteose masculina é absolutamente necessária para uma propagacao da espécie, a feminina dispensa-se. Chamemos-lhe deus ou natureza, mas o que é certo é que discriminacao existe.

Catarse disse...

E, sendo que a pergunta talvez não seja evolutivamente desprovida de méritos, porquê tal descriminação?

Porquê, estando codificado nos genes uma necessidade imperiosa nos machos de disseminá-los e nas femeas uma necessidade imperiosa de atrair e manter os machos, negar tal apoteose às segundas? Ou será a aparente negação de tal apoteose reservada como critério para a escolha do parceiro ideal, aquele mais capaz de a provocar? Ou só um resquício evolucionário?

Deixo dois links:
http://www.trinity.edu/rnadeau/FYS/Barash%20on%20monogamy.htm

http://www.feministe.us/blog/archives/2005/05/16/ooh-ooh-eee-orgasm-science/